Friday, March 02, 2007

de repente

De repente
tenho ganas de arrancar do peito
o coração
para observá-lo pulsar
compulsivamente
em minha mão

Que lentamente se avermelha

pulsão
compulsão
pulsação de sangue-bom

O sentimento no braile
no obscuro tátil da coisa.

4 comments:

andrea***** said...

querido... esta coisa de coração ... é linda ... eu adoro tudo que faz a gente querer colocar a mão no coração ...e mesmo que ele esteja inteiro ou em pedaços... olhar para ele com toda a fragilidade e paradoxal potencia que ele tem... nos humaniza e nos engrandece... pois sabemos que ele tá ali... ou seja que não somos de lata... que somos coração ardendo de vida....

Dani Morreale said...

Para toda erupção de sentimentos, não há nenhuma sílaba extensa que marca o movimento. Fale a língua dos anjos, de santo de cegos. Fale sua cala. Faça seus calos uma cálida palavra - sem forma mas em fôrma.
Adoooooooooooooro suas cositas!!!
beijos

Anonymous said...

desespero da paixão, doeu em mim e te respondi esqueceste? lendo-o agora não consegui deter as lágrimas por toda esta expressão...

Maria Flor!

Anonymous said...
This comment has been removed by a blog administrator.