Thursday, March 01, 2007

sem palavras

Não tenho mais palavras para falar o que sinto por você. Elas se exauriram. Secaram, não fazem mais efeito, nem pra mim nem pra você. Não trazem nada de novo. Não transformam, não transtornam, não deleitam. Soçobram as palavras. A mim, só sobram sentimentos. A nova linguagem agora vem da alma. Ela fala o idioma dos suspiros, uma espécie de dialeto da saudade.

4 comments:

andrea************ said...

as palavras meu nobre e adorado amigo são estes limites que escolhemos... e ainda assim quando escolhemos fazemos de tudo para encontrar as melhores... mas as vezes elas não aparecem...ficamos loucos tentando entrar no rio da nossa alma com todos os aparatos possiveis para encontra-las... mas a nossa alma as vezes é profunda demais...densa demais para ser expressa em apenas signos inventados...eu conheço esta angústia que persiste nas nossas horas humanas...de todo o dia quando o dia já não é tão dia...é mais noite obscura de sentido ... completamente impenetrável.. portanto as vezes a melhor palavra é a nossa quietude ou ação não atuada mas nem por isso carente de intenção... te adoro por tudo o que vc com tanta potencia escreve....beijos

Anonymous said...

todas as palavras que pudessem expressar sentimentos, foram ditas em poesias e rabiscos. nesse dialeto só nossas almas ditam nossos mais profundos sentimentos. elas sim, se encontram, se tocam, deixando em nós apenas os suspiros da saudade...

Maria Flor!

Dani Morreale said...

Que todo suspiro seja doce, tão doce de amargar. Que todo amargor seja amargo, tão amargo ao ponto de se manifestar. Que para toda obra de arte haja uma dor de obra prima. Que toda manifestação saia do silêncio do sua fala infinita.
Porque ninguém é poeta sem chorar!!!!!!!!!!!
Beijos amigo.

ana wagner said...

Esse poema é UAU!!! rsrs
Lindo mesmo, adorei! bjs