Wednesday, January 12, 2011

E vamo que vamo.

Acordou,
colocou o dedo na tomada,
tomou sopa de letrinha
e uma injeção eletrônica.

Saiu pro dia naquele estado.
De choque, de surto-circuito.

4 comments:

Anonymous said...

Tinha um poema que era muito bom e coisa e tal. Até que saiu com uns amigos atendimentos.
Era um choque cultural!

Maria Muadiê said...

;)

André HP said...

Lembro de um artefato de desing e função interessante que surgiu no mercado anos atrás: um adaptador para colocar o dedo e enfiar na tomada - com o papel de acordar as pessoas antes do trabalho com um choque.

Em diversas outras modalidades de sensações e alquimias de sensações acontecem de poesia.

Abraço.

Cynthia Lopes said...

Pois é, foi o que pensei,
o pobre já pulou da cama
ligadão e de cabelo em pé!
vai ter um dia muito doido
Capitão.
(genial, bjs)