Wednesday, May 20, 2009

tônus bônus ônus

A gente envelhece no físico
desproporcionalmente
ao espírito.
A carcaça acaba mais rápido.
O corpo range, o espírito sente.
Sentir é rejuvenescer.
Só quando você sente profundamente
sua caveira se enche de luz.
Eis a mocidade!
O corpo chia, o espírito sente.
A alma se lava.

7 comments:

Mara faturi said...

ADOREIIIIIII, SENTINDO...rs,rs
bjo

Cosmunicando said...

é isso aí... minha caveira anda cheia de luz =)

Sofia Fada said...

para quem consegue enxergar além, o corpo tem a idade do espírito, sempre

bj

Adrianna Coelho said...


putz! o título é parte essencial desse poema!

muito, muito, muito bom!!

Elza Fraga said...

Gostei da caveira cheia de luz e da alma lavada.
Não passa não, ferro é quente, rsrsrs.
Você está cada vez mais afinado,
mais cheio das figurações, rsrsrs.
Muito bom!!!
Bitokitas de tô com saudade de tu!

ana wagner said...

Oi amigo!Cada vez melhor, mocinho!
Dá gosto passear por tuas trilhas poéticas.
bjs

Maria Paula Alvim said...

Que bonito!