Thursday, May 07, 2009

têmpera

hoje acordei com uma raiva de mel
um tempero doce-azedo
com nuances de distância
e o gosto bruto da saudade
coisas do temperamento,
simples assim.

7 comments:

Cosmunicando said...

simples e real.
muito bom, aliás como sempre =)

Adrianna Coelho said...


e hoje me "bateu" a saudade daqui
então apareci
e apreciei o tempero

e com o tempo
tudo passa...
mesmo quando tudo é amargo, né?

beijos, helio

Mara faturi said...

ADOREI essa saudade agridoce;)
bjos

Cynthia Lopes said...

Tudo muito assim e assado, tudo muito controvertido e confrontado, belos versos, simples assim. bjs

Sofia Fada said...

saudade deixa um gosto temperamental na boca.
lindo o poema,
bj

Elza Fraga said...

Ah, sodade mata a gente, moreno...
Rsrsrsrs.
Nada como uma boa cerva gelada, amigos, abraços e poesia,
né mesmmmm?
Você é um poeta dos finos! E bons!

Anonymous said...

Lindo e saboroso! beijos